Política Municipal de saúde para o homem

imagesCA4M0TTD

 

PROJETO DE LEI N. ________________________

Institui a Política Municipal de Atenção Integral e acompanhada à Saúde do Homem, e dá outras providências.


A Câmara Municipal de __________________, DECRETA:
Art. 1º Fica instituída a Política Municipal de Atenção Integral e acompanhada  à Saúde do Homem.
Parágrafo único. A Política de que trata o caput deste artigo visa promover a melhoria das condições de saúde da população masculina do município de São Paulo, contribuindo, de modo efetivo, para a redução da morbidade e da mortalidade dessa população, por meio do enfrentamento racional dos fatores de risco e mediante a facilitação ao acesso, às ações e aos serviços de assistência integral à saúde.
Art. 2º A Política Municipal de Atenção Integral e acompanhada  à Saúde do Homem, de que trata o artigo 1º desta Lei, será regida pelos seguintes princípios:
I – universalidade e equidade nas ações e serviços de saúde voltados para a população masculina, abrangendo a disponibilidade de insumos, equipamentos e materiais educativos;
II – humanização e qualificação da atenção à saúde do homem, com vistas à garantia, promoção e proteção dos direitos do home, em conformidade com os preceitos éticos e suas peculiaridades socioculturais;
III – co-responsabilidade quanto à saúde e à qualidade de vida da população masculina, implicando articulação com as diversas secretarias e com a sociedade;
IV – orientação à população masculina, aos familiares e à comunidade sobre a promoção, a prevenção, a proteção, o tratamento e a recuperação dos agravos e das enfermidades do homem.
Art. 3º A Política Municipal de Atenção Integral e acompanhada à Saúde do Homem possui as seguintes diretrizes, a serem observadas na elaboração dos planos, programas, projetos e ações de saúde voltados à população masculina:
I – integralidade, que abrange:
a) assistência à saúde do usuário em todos os níveis da atenção, na perspectiva de uma linha de cuidado que estabeleça uma dinâmica de referência e de contra referência entre a atenção básica e as de média e alta complexidade, assegurando a continuidade no processo de atenção;
b) compreensão sobre os agravos e a complexidade dos modos de vida e da situação social do indivíduo, a fim de promover intervenções sistêmicas que envolvam, inclusive, as determinações sociais sobre a saúde e a doença;
II – organização dos serviços públicos de saúde de modo a acolher e fazer com que o homem sinta-se integrado;
III – implementação hierarquizada da política, priorizando a atenção básica;
IV – reorganização das ações de saúde, por meio de uma proposta inclusiva, na qual os homens considerem os serviços de saúde também como espaços masculinos e, por sua vez, os serviços de saúde reconheçam os homens como sujeitos que necessitem de cuidados;
V – integração da execução da Política Municipal de Atenção Integral à Saúde do Homem às demais políticas, programas, estratégias e ações da Secretaria Municipal de Saúde.
Art. 4º São objetivos da Política Municipal de Atenção Integral e acompanhada à Saúde do Homem:
I – implementar, acompanhar e avaliar, no âmbito de sua competência, a Política Municipal de Atenção Integral e acompanhada à Saúde do Homem, priorizando a atenção a saúde básica;
II – apoiar técnica e financeiramente a implementação e acompanhar, no âmbito de sua competência, a implantação da Política Municipal de Atenção Integral e acompanhada à Saúde do Homem; III – promover, no âmbito de sua competência, a articulação intersetorial e interinstitucional necessária à implementação da Política;
IV – incentivar as ações educativas que visem à promoção e atenção da saúde do homem;
V – promover a qualificação das equipes de saúde para execução das ações propostas na Política Municipal de Atenção Integral e acompanhada à Saúde do Homem;
VI – promover, junto à população, ações de informação, educação e comunicação em saúde visando difundir a Política;
VII – estimular e apoiar, juntamente com o Conselho Municipal de Saúde, o processo de discussão com participação de todos os setores da sociedade, com foco no controle social, nas questões pertinentes à Política Municipal de Atenção Integral e acompanhada à Saúde do Homem;
IX – capacitação técnica e qualificação dos profissionais de saúde para atendimento do homem;
X – analisar os indicadores que permitam aos gestores monitorar as ações e os serviços e avaliar seu impacto, redefinindo as estratégias e/ou atividades que se fizerem necessárias.
Art. 5º As despesas decorrentes da execução desta lei correrão por conta das dotações orçamentárias próprias e da secretaria de saúde, suplementadas, se necessário.
Art. 6º O Poder Executivo regulamentará a presente Lei no prazo de 180 (Cento e Oitenta) dias a contar de sua publicação.
Art. 7º Esta lei entrará em vigor na data da sua publicação, revogadas as disposições em contrário.
 

Prefeito(a) Municipal